sexta-feira, junho 27

Saber Horrível

Uma série que ensina, com muito bom humor, conceitos importantes das mais diversas disciplinas. Recheada de irreverentes ilustrações em história em quadrinhos

Mas atenção! Só leia se você acha que tem estômago para aguentar o lado nojento da Ciência. A coleção completa tem 21 exemplares

Sangue, Ossos e Pedacinhos
Nick Arnold | Tradução de Antonio Carlos Vilela 
Ilustrações de Tony de Saulles
Este livro explora curiosidades sobre o corpo humano e prende a atenção do leitor, sempre com bom humor. 
Permite ainda trabalhar a importância de conhecermos o nosso corpo e a estreita relação existente entre higiene e saúde.

Caos Químico
Nick Arnold | Tradução de Antonio Carlos Vilela 
Ilustrações de Tony de Saulles
Texto de leitura gostosa e interessante, permeado de humor inocente, faz com que um assunto técnico flua agradavelmente. Ao mesmo tempo, pode levar a uma reflexão mais profunda sobre as descobertas do homem e como o emprego inadequado de algumas delas pode causar danos irreparáveis à própria humanidade.

Digestão Nojenta
Nick Arnold | Tradução de Maria Silvia Mourão Netto 
Ilustrações de Tony de Saulles
Com muito bom humor, este livro traz informações nojentas de como o alimento é processado no interior do corpo humano. Mostra qual é a função das vitaminas e como o cérebro atua sobre o estômago, dá informações assustadoras sobre o sistema digestório e traz testes para fazer com o professor, além de muitas ilustrações engraçadas.



Coleção completa aqui

Coleção "Mortos de fama"

Oi gente,

Li "Cleópatra e sua víbora" e me apaixonei. É divertido, e conta a história de forma leve e interessante. Para quem não conhece, um pouco sobre a coleção completa.

Este livro traz uma porção de informações quentíssimas e dados devastadores sobre o incrível Rei do Rock: desvenda o segredo do seu célebre requebrado; revela por que as garotas enlouqueciam assistindo aos seus filmes; conta como ele deflagrou uma verdadeira rebelião com uma simples piada; explica por que botou 3 mil bolas de gude no camarim de um músico; revela quem eram seus heróis e como caiu do trono. Também explica por que ele estourava a tiros suas televisões durante terríveis acessos de raiva, fala das suas farras milionárias, da grana que torrava comprando carros para pessoas que nunca tinha visto na vida, além das maluquices que os fãs e as fãs faziam por causa dele.


Cleópatra foi a última rainha do Egito. Morreu há mais de dois mil anos, mas vai ser para sempre uma morta de fama. Desde os tempos dos romanos todo mundo tem alguma coisa a dizer sobre ela. Por exemplo, que ela era muito sedutora, o que é verdade. Mas ao contrário do que se pensa, ela não era linda como uma atriz de cinema. Era baixinha e até meio gorducha. Cleópatra e sua víbora conta a história dessa mulher fatal. Adiantamos aqui algumas das informações exclusivas sobre a Cleo: ela chegou ao trono do Egito aos 19 anos; reinou por 21 anos, com ajuda dos seus namorados romanos, Júlio César e Marco Antônio; era muito vaidosa e exagerava na maquiagem, principlamente no lápis para sobrancelha; usava uma víbora - uma cobra de verdade - na coroa sobre sua cabeça; casou com seus dois irmãos, que se chamavam Ptolomeu - os dois; ela tinha uma irmã mais velha que também se chamava Cleópatra, todos os irmãos e irmãs da Cleo morreram em lutas pelo poder.

O artista italiano Leonardo da Vinci (1452-1519) é conhecido no mundo inteiro por ter pintado o quadro mais famoso de todos os tempos: a Mona Lisa, o incrível retrato de uma mulher de sorriso enigmático. Ele era um verdadeiro gênio, um homem à frente do seu tempo em matéria de ciência, matemática e engenharia: o Leo imaginou helicópteros, tanques de guerra e submarinos séculos antes que esses inventos se tornassem realidade. Além disso, ele foi também um sábio, precursor da medicina e da filosofia modernas. O Leo não só buscou desvendar os segredos da anatomia, desenhando os mais complicados detalhes do corpo humano, como também se questionou sobre o lugar do homem no Universo e o sentido da existência. Ainda por cima, o Leo era músico, arquiteto, cartógrafo e urbanista (fez vários projetos de cidades, edifícios e aquedutos). Em Leonardo da Vinci e seu supercérebro o leitor vai saber mais coisas inacreditáveis sobre esse homem genial.

Alexandre é mesmo uma personalidade e tanto. Neste livro é possível conhecer suas incríveis façanhas nos campos de batalha e sua extraordinária jornada até os confins da terra; ler o diário secreto desse grande personagem histórico e descobrir tudo sobre sua vida; e, graças ao jornal Macedônia Hoje, acompanhar todas as suas façanhas e descobrir por que continua sendo famoso de morrer mais de 2 mil anos depois de ter batido as botas.


A história de Joana d'Arc foi contada centenas de vezes ao longo dos séculos. Ela estrelou mais livros e filmes do que quase qualquer outra pessoa na história - e nunca deixou de impressionar mesmo a quem já conhecia sua trajetória. Que Joana morreu na fogueira, isso todo mundo sabe. Mas dá para acreditar que ela era uma simples camponesa e acabou mudando a história do seu país, liderando um exército inteiro com apenas dezessete anos? Sim, Joana sabia bem o que queria e conseguia expressar sua opinião melhor do que ninguém. Da fazenda de seus pais, na pequena Domrémy, acompanhou o drama da sucessão em seu país e encasquetou que o delfim Carlos, filho do falecido rei Carlos, o Louco, deveria ser o novo rei. Ainda por cima, Joana ouvia vozes - de anjos e eventualmente de Deus -, e soube por elas que Carlos deveria de fato ser o herdeiro da coroa. Pronto! A partir daí, ela fez das tripas coração para cumprir a vontade divina, e alcançou muita coisa. Seu fim não é dos mais felizes, mas sua vida, mesmo que curta, foi extraordinária. Nesta biografia completa e ao mesmo tempo bem-humorada, ilustrada com pequenas histórias em quadrinhos, o leitor conhece essa aventura lendo o diário imaginário da própria Joana, seu boletim escolar, os jornais da época, entre outros textos originais. E de quebra conhece a história da França e alguns aspectos da Europa medieval, como a religiosidade dos camponeses. 


Espártaco e seus gloriosos gladiadores conta a incrível história do escravo que desafiou o exército romano, venceu diversas batalhas e tornou-se respeitado e temido por um dos maiores impérios que já existiu. Treinado para se apresentar nos espetáculos de arena, em que gladiadores lutavam até a morte, Espártaco armou uma fuga e passou a liderar um grupo de pouco mais de cem homens. À medida que vencia batalhas, sua fama aumentava e o contingente de adeptos também, que chegou à cifra extraordinária de 100 mil soldados. Além de treinar os voluntários, Espártaco se mostrou um excepcional estrategista, qualidade que compensava, em grande medida, a falta de equipamentos e o número inferior de soldados em comparação ao exército romano.


A ciência é parte fundamental do nosso dia-a-dia - já imaginou como seria a vida sem carro, telefone, computador, pasta de dente?... E sem algumas mentes brilhantes que, com seus experimentos e descobertas, revolucionaram o mundo? Pois é, mesmo depois de mortos, os cientistas ainda são como caixinhas de surpresas - e os nove que este livro traz são particularmente incríveis. Aristóteles, Galileu Galilei , Isaac Newton, Michael Faraday, Charles Darwin, Gregor Mendel, Louis Pasteur, Marie Curie, Albert Einstein. Mas é claro que ainda fizeram muito mais... Aqui você vai conhecer a história secreta de cada um deles graças aos seus cadernos de anotações, vai ler as reportagens sobre as suas descobertas que viraram manchete e saber tudo sobre suas fantásticas experiências.

Muita gente acha que Albert Einstein foi o homem mais genial de todos os tempos. É possível: quantos outros foram capazes de juntar tantas peças do quebra-cabeça do Universo? Espaço, tempo, átomos, luz, gravidade, energia - ele era mesmo um crânio. Eis uma lista resumida do que ele descobriu: como o Universo funciona e como fazê-lo parar de desinflar; como viajar no tempo; como contar átomos; como transformar coisas em luz e luz em coisas, e como, olhando firme para o céu, mas firme mesmo, é possível enxergar a própria nuca. Mas como ele conseguiu fazer todas essas descobertas fantásticas? Para saber, é só dar uma olhada no seu diário perdido, que está em Albert Einstein e seu Universo inflável. O livro também mostra que a vida de um gênio não é fácil. Quando era pequeno, o futuro cientista foi expulso da escola. Mais tarde, ele seria espionado pelos nazistas e pelo FBI. E depois de morto, o cérebro dele foi retirado e utilizado para estudos. 


 Isaac Newton viveu há trezentos anos e vai ser famoso de morrer até o fim dos tempos. Mas por quê? Todos sabem que um dia ele se sentou à sombra de uma macieira e levou uma maçãzada na cabeça, o que o levou a descobrir a lei da gravidade. Só que a história é mais comprida e muito, mas muito mais interessante. Poucos sabem, por exemplo, que Isaac foi o último da classe. Logo nas primeiras páginas, o autor relaciona algumas coisas que contará sobre o grande sábio: "Por que ele enfiava coisas embaixo do globo ocular e quase ficou cego; como ele conseguiu decompor a luz; como ele inventou todo um novo sistema matemático e muito mais...
Todo mundo já ouviu falar de William Shakespeare. Considerado um dos maiores escritores de todos os tempos, Shakespeare - Will, para os íntimos - é autor de textos célebres como Romeu e Julieta, Sonho de uma noite de verão e Hamlet. Essas peças estão entre as mais encenadas no mundo, e Will faz um tremendo sucesso em todos os países que passa. Em William Shakespeare e seus atos dramáticos, novo lançamento da coleção Mortos de Fama, você vai ficar sabendo de tudo sobre esse misterioso autor. Tão misterioso que tem gente que duvida que ele tenha existido em carne e osso! E os suspeitos de terem escrito sua obra não seriam poucos, alguns acham que até mesmo a rainha Elizabeth pode ter arriscado algumas histórias! Lendo o "Diário secreto de William Shakespeare" você vai ficar sabendo o que se passava na cabeça de Will quando ele era criança e até quando criava suas peças. No jornal Echos D'Albion, vai conhecer a Inglaterra de época de Will, com seus reis e rainhas, suas guerras e seus costumes esquisitos. A seção "Um cara enigmático" traz à tona grandes mistérios da vida de Will, como o do chá de sumiço que ele tomou por sete anos antes de se mudar para Londres. Você ainda vai conhecer o enredo de algumas das principais peças de Will, bem como seus personagens e também as falas mais famosas, e, para completar, terá acesso exclusivo aos bastidores do Globo, o teatro que Will e seus colegas construíram na beira do Tâmisa. William Shakespeare: Divertido de morrer - Interessante de morrer - Famoso de morrer.

sexta-feira, junho 20

Decifre os símbolos das etiquetas

Antes de colocar o seu modelito preferido para lavar, que tal aprender a identificar os avisos dos fabricantes?

Você já deve ter reparado que quase toda peça de roupa vem com alguns símbolos na etiqueta. São uns quadradinhos, bolinhas, copinhos de água, triângulos, quadrados com bolinhas dentro – cortados ou não – etc. Não é mistério para ninguém que estes são símbolos de instruções sobre a lavagem, a secagem e a maneira de passar as roupas. Mas, a pergunta é: você sabe o que cada um deles significa?

Cada tipo de roupa exige uma forma diferente de lavar, secar e passar de acordo com o material que foi utilizado, a cor e a forma como foi produzido. O objetivo é evitar que a peça se deteriore antes do tempo. Para deixar estas informações sempre à nossa mão e de uma forma que coubesse no pequeno espaço que a etiqueta tem, foram criados símbolos. Em alguns casos, como o da imagem acima, até vêm umas instruções escritas, mas, muitas vezes, são só os “desenhos” mesmo, como na imagem abaixo.

Os símbolos servem para indicar a temperatura máxima da água utilizada na lavagem, se a peça pode ser lavada na máquina ou se deve ser lavada somente a mão (ou nem mesmo ser lavada), se pode ou não ser utilizado alvejante, se pode secar em secadora, a temperatura máxima do ferro e por aí vai. São muitos pequenos detalhes aos quais não nos atentamos no dia-a-dia.

Quem sabe não é a falta de atenção às instruções que fez aquela sua peça de roupa caríssima, e que duraria por anos, ficar feia logo nos primeiros meses? Veja, a seguir, alguns dos símbolos mais encontrados nas etiquetas. Mas, atenção: se a sua roupa tiver algum outro símbolo que não esteja aqui, faça uma pesquisa na internet antes de lavá-la e poupe o seu rico dinheirinho!

Lavagem

Uso de alvejante (cloro ou água sanitária)

Secagem

Forma de passar

Para terminar, uma pequena dica que serve para todos os tipos de roupa: sempre procurar lavá-las pelo avesso. Isso evita que se desbotem mais rápido.

Veja mais algumas etiquetas de roupas e o que elas significam:
Como esta etiqueta é grande, todas as explicações sobre os símbolos vieram escritas.

Esta etiqueta também traz por escrito a explicação dos símbolos.

Lavar com água até 60º, sem alvejante. Secar em tambor em temperatura baixa. Passar com ferro até 150º. Pode lavar a seco, com tetracloroetileno (em lavanderia). Pode ser lavado por processo úmido profissional (em lavanderia).

Lavar com água até 40º, utilizando processo suave. Não usar alvejante, nem secar em tambor (secar em varal). Passar com ferro até 150º. Não lavar a seco. Pode ser lavado profissionalmente (em lavanderia) por processo úmido suave.



Curiosidade: repararam que a etiqueta da blusa que aparece na segunda imagem deste post é igual a esta aqui de cima? Pois é. Acontece que a primeira é de uma blusa da loja STW, e a segunda é da Borelli. Ambas fabricadas na China…


quinta-feira, junho 19

Atividades do dia-a-dia da dona de casa, podem submeter o corpo a posturas arriscadas

São bastante comuns as queixas durante a realização de atividades domésticas do dia a dia, como por exemplo: cozinhar, arrumar e limpar a casa, lavar roupas, estender no varal, cuidar do jardim ou cuidar de crianças. Todas essas atividades exigem esforço físico e submetem o corpo a posturas arriscadas para estruturas do organismo, como coluna vertebral, quadril, joelhos e ombros.

De acordo com o fisioterapeuta Dr. Leonardo Stahelin Eicke (Crefito 112.234-F), membro da Associação Brasileira de Reabilitação de Coluna (ABRC) e sócio-proprietário da ITC Vertebral de Florianópolis/SC, é preciso atenção ao posicionamento do corpo na realização destas atividades, à altura dos móveis, ao peso dos objetos, à ergonomia. “A casa também é um ambiente de trabalho onde permanecemos por longos períodos de tempo e por isso é preciso atenção para evitar problemas futuros”, aconselha.

Dr. Leonardo explica que atividades comuns como arrumar gavetas, devem ser exercidas com atenção. “Curvar o tronco, gera sobrecarga direta na coluna lombar, o que pode desencadear dores imediatas. Isso se agrava com o tempo que se leva para realizar essa atividade”, diz. “A postura correta é sentar-se em um pequeno banco, de modo que a coluna fique alinhada e protegida, mantendo sempre a contração dos músculos transverso do abdômen”, recomenda.

Cozinhar ou preparar alimentos, a sugestão do profissional, é que se evite curvar a coluna para frente, sem contração dos músculos abdominais, pois esta postura sobrecarrega tanto a região lombar quanto a cervical. “Ao preparar os alimentos, procure manter a coluna ereta, os músculos abdominais contraídos e um dos pés apoiado em um pequeno banco”, sugere o especialista.

Ao varrer a casa, Dr. Leonardo indica que se evite curvar a coluna para frente, utilizando uma vassoura com cabo curto. “Mantenha-se ereto e com os pés afastados. Observe se a altura do cabo da vassoura corresponde com a sua altura e procure não se inclinar para frente, mantendo a postura mais ereta possível e com os pés afastados. Realize os movimentos de varrer com o corpo todo, evitando os movimentos rotacionais da coluna”, aconselha.

Vale uma atenção especial também ao lavar louças ou roupas, o ideal é evitar inclinar o tronco para frente, pois esta posição gera sobrecarga em toda a coluna. “Procure manter a coluna reta e um dos pés apoiado num pequeno banco”, diz Dr. Leonardo. E ao estender as roupas no varal, o fisioterapeuta alerta que se evite elevar muito os braços segurando as roupas para alcançar o varal, pois este movimento sobrecarrega a região cervical da coluna. “Procure colocar o varal em uma altura compatível com a sua, acessível aos seus braços, de modo que suas mãos não ultrapassem a altura dos ombros”, assinala.

Outras atividades do dia a dia da dona de casa que submetem o corpo a posturas arriscadas, como varrer embaixo dos móveis, devem ser realizadas na posição em pé, curvando a coluna para frente. “Utilize um banco bem baixo para sentar ou fique agachado, mantendo a contração dos músculos abdominais”, sugere. “Do mesmo modo ao arrumar a casa e afastar móveis evite empurrar ou levantar móveis sozinho. O peso deles gera sobrecarga na coluna, podendo desencadear a dor imediatamente. Peça ajuda a outra pessoa para afastar móveis ou objetos pesados do lugar. Mantenha os joelhos semi-fletidos, dobrados, os pés afastados e o abdômen contraído”, aconselha o fisioterapeuta.


E para aquelas donas de casa que já estão com dores na coluna e precisam de uma atenção especial, Dr. Leonardo sugere que sigam as dicas e que procure com urgência um profissional capacitado para promover a reeducação postural. No Brasil há dez anos o tratamento revolucionário que está sendo aplicado nos pacientes, é a Reconstrução Músculo Articular da Coluna Vertebral, conhecido popularmente como RMA. “É um tratamento não cirúrgico, que promove o fortalecimento da coluna, através de cinco etapas, a fisioterapia manual; mesa de flexão/descompressão, mesa de tração eletrônica; estabilização vertebral e pilates ou musculação. Ideal para lombalgia; cervicalgia; dor ciática; protrusão discal; espondilose, artrose entre outras”, indica e conclui informando que todas as técnicas do R.M.A. têm evidências cientifica, e o tempo de duração do programa, também é muito curto, em apenas três meses são obtidos 87% de bons resultados até em pacientes mais graves.

Fonte: Assessoria de Imprensa da Clínica ITC Vertebral de Florianópolis/SC

Mau cheiro no corpo pode ser distúrbio ou simples reação química

IARA BIDERMAN 
Colaboração para a Folha de S.Paulo 
AMARÍLIS LAGE 
da Folha de S.Paulo 
Em uma sociedade perfumada e desodorizada como a nossa, às vezes é difícil definir e até reconhecer os cheiros produzidos por nosso corpo. Eles não são, necessariamente, algo a ser disfarçado com produtos de higiene, embora estes também tenham a sua função de transformar o que captamos por meio do bulbo olfativo em sensações agradáveis. 

Mas os odores corporais vão muito além da perfumaria. Eles são a expressão de substâncias químicas voláteis presentes no organismo, que podem tanto indicar a presença de algum distúrbio como gerar reações primitivas e não racionais de atração ou repulsa. 

Os especialistas conseguem explicar melhor os mecanismos de cheiros considerados desagradáveis, como a bromidrose (odor provocado pela ação de bactérias no suor). Já os odores corporais considerados agradáveis são mais difíceis de explicar. 

O cheiro do bebê, por exemplo, tem causas difíceis de definir, mas efeitos poderosos e sensíveis. Ele estimula a produção de oxitocina, "o hormônio do afeto e das relações doces e puras", de acordo com a endocrinologista Vânia Assaly, da International Hormone Society. Relacionada às contrações do parto e à produção de leite na amamentação, a oxitocina é responsável pela sensação de prazer que a presença de um bebê traz - sensação especialmente forte na relação da mãe com o filho, pois ela também identifica, pelo odor de sua cria, a própria identidade genética

Além disso, a reação aos odores tem fortes componentes subjetivos e culturais. A repulsa a determinado cheiro pode estar ligada à memória olfativa individual, que associa o odor a situações ruins vividas. Hábitos socioculturais podem, ainda, determinar o grau de aversão ou atração a certos cheiros. 

Características genéticas também podem fazer com que as pessoas tenham uma percepção diferente dos cheiros, diz Bettina Malnic, professora do Instituto de Química da USP (Universidade de São Paulo). "Um estudo recente mostrou que pessoas com um gene que havia sofrido mutação consideravam agradável o cheiro da androesterona, substância derivada da testosterona e presente no suor e na urina. Já as com o gene normal achavam o odor desagradável.

Para entender melhor o que acontece com os odores corporais e por que exalamos diferentes cheiros, a Folha consultou especialistas de diferentes áreas - endocrinologistas, dermatologistas, nutricionistas e especialistas em perfumes, entre outros. Leia a seguir suas explicações para dúvidas sobre os cheiros do corpo. 

Todo suor tem cheiro? 
Apenas o suor produzido pelas glândulas apócrinas causa mau cheiro. Este ocorre quando as bactérias naturalmente presentes na pele entram em contato com as proteínas e gorduras que fazem parte da composição desse suor, causando o odor desagradável conhecido como bromidrose. 

Por que os adolescentes costumam ter odores corporais mais acentuados? 
A partir da puberdade, começam os primeiros picos de esteróides –hormônios sexuais produzidos inicialmente na glândula supra-renal e depois nos ovários e nos testículos. Essa mudança hormonal também faz com que as glândulas sudoríparas apócrinas, até então inativas, comecem a funcionar. Localizadas nas axilas e na região genital, essas glândulas produzem o tipo de suor que, em contato com as bactérias da pele, causam o mau cheiro. 

Mulher tem cheiro diferente de homem? 
Na mulher, os odores corporais oscilam em relação ao ciclo menstrual. Há fases que propiciam o aumento de uma bactéria natural da flora vaginal e do ácido lático, protetor da vagina. As secreções produzidas nesse período têm um odor típico, diferente do produzido em outras fases, mas que é normal. No homem, a maior concentração de androsterona (substância derivada da testosterona) no suor e na urina causa um odor característico. 

O cheiro interfere na atração sexual? 
Teoricamente, a mulher na fase fértil pode transmitir um cheiro que informa ao homem que está mais receptiva ao sexo. Estudos também sugerem que elas seriam capazes de identificar, pelo "cheiro", homens com perfil imunológico complementar ao delas. Esse seria o odor dos feromônios, substâncias ligadas ao reconhecimento sexual. Trata-se de um mecanismo comprovado entre os animais mamíferos, que garante filhos mais fortes. 
Em humanos, o tema é polêmico. Isso porque a identificação dos ferômonios é feita por uma estrutura chamada órgão vomeronasal. Embora nós tenhamos essa estrutura, acredita-se que ela seja só um resquício de nossos ancestrais, sem função atual. 

Existe cheiro de bebê? 
O suor do bebê vem das glândulas écrinas e, portanto, não produz cheiros perceptíveis. Mas há um odor de bebê, difícil de definir, que cada mãe consegue identificar como o de seu próprio filho. 
O provável cheiro de bebê é relacionado às sensações causadas pela oxitocina - -hormônio em que a mulher fica como que embebida na relação de cuidado e amor com sua prole. Uma grande quantidade de oxitocina é liberada durante o trabalho de parto e a amamentação. O hormônio é detectado por receptores do centro emocional do cérebro, o sistema límbico, e produz sensações de conforto e prazer. Pesquisas apontam que a oxitocina tem um papel central na criação de vínculos entre a mãe e sua prole. 

Por que perfumes "pegam" mais em algumas pessoas? 
A fixação do perfume varia de acordo com o tipo de pele. Ele se fixa melhor nas peles oleosas do que nas secas. Quando o extrato córneo (superfície da pele) é mais grosso, a fixação é menor. Em quem sua muito, o perfume também se fixa menos: o suor dilui as essências antes de elas penetrarem na pele. 

Os odores corporais mudam com o tempo? 
No envelhecimento, a diminuição da produção dos hormônios sexuais faz com que os odores corporais sejam diferentes. A alteração dos níveis de líquidos corporais também pode influenciar o cheiro. Além disso, podem surgir odores relacionados a doenças específicas, mais prevalecentes na população mais velha.


Fragrâncias Bizarras

quarta-feira, junho 18

A Química perfumada


História das fragrâncias passa pela descoberta da destilação, da extração de óleos e pela criação das moléculas sintéticas
SABINE RIGHETTI
Folha de São Paulo

O uso de aromas, presentes em desodorantes, cremes, xampus e perfumes, faz parte da história da humanidade. Mas a produção de cheiros de hoje só foi possível com a evolução da química.
As primeiras formas de aromatização eram feitas pela simples fumigação de ervas. Essa técnica fazia parte das cerimônias religiosas.
"Acreditava-se que Deus estivesse no ambiente, mesmo sem ser visto, assim como os cheiros", explica João Braga, professor de história da moda da Faap (Fundação Armando Alvares Penteado).
Os aromas feitos a partir de ervas como a mirra - um dos presentes que teriam sido dados a Jesus - faziam parte de rituais desde o Egito Antigo.
Lá, surgiram também as primeiras formas de perfumar-se por meio de pastas.
"Havia diferentes aromas para cada parte do corpo. Mas os líquidos dessas pastas eram muito voláteis", conta a química Claudia Rezende, da UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro). Ela coordena o Ano Internacional da Química no Brasil.

'ALQUIMIA'
Com o processo de destilação (separação da água e do álcool), aperfeiçoado no século 14, o perfume ficou independente dos banhos. Nessa época, as ervas para culinária, religião e perfumes se confundiam.
No século 16, os últimos alquimistas europeus -os químicos da época- aperfeiçoaram a condensação do vapor de ervas em ebulição para extração dos óleos essenciais - a base dos perfumes.
"Isso deu um salto na história dos perfumes", explica Humberto Bizzo, que pesquisa óleos essenciais na Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária).
Desde então, a vida de personagens históricos foi marcada também pelos cheiros.
Um deles é Napoleão Bonaparte, líder da revolução francesa no século 18. Ele usava uma fragrância como a atual "Água de Colônia".
Apesar de adepto de cheiros, um perfume teria tirado Napoleão do sério: o de sua ex-mulher, Josefina. Ela teria impregnado o quarto dele com seu forte aroma antes de deixar sua casa.
A popularização dos perfumes aconteceu no século 19, com o avanço da química e o crescimento da indústria.
Mas os perfumes não deixaram de ser itens "de luxo" e passaram a ter uma relação cada vez mais próxima com a moda.
"O sensorial é uma das formas de convencimento de consumo", lembra Braga.
Mas o odor é importante também para a sobrevivência. Serve, por exemplo, para identificar comida estragada. "É um alerta para o sistema de defesa", diz Rezende.
Hoje, a química se ocupa buscando moléculas, reproduzindo-as sinteticamente e criando fixadores.
Os perfumistas trabalham com um universo limitado, mas grande, de substâncias: são cerca de 3.000 matérias-primas. A arte é fazer uma combinação delas.
"Além disso, há prospecção de novas substâncias na natureza e no laboratório", lembra Bizzo, da Embrapa. Ele, por exemplo, está em busca de novos aromas no cerrado brasileiro.


Dia do Químico






terça-feira, junho 3

Como Fazer Bastões Luminosos

Criado por Carlos Nascimento, Chrystian Sales

Os bastões luminosos ornamentam os pescoços de crianças e adultos em eventos esportivos e outras celebrações. As pessoas também os utilizam para acenar em uma demonstração espirituosa em jogos de bola. Estes bastões podem ser segurados ou enrolados como bijuterias. Apesar de ser possível comprá-los, os passos a seguir irão mostrar como fazê-los e permitirão que os faça em grandes quantidades para fornecer aos amigos se quiser!

Passos
1. Compre os itens listados abaixo em "Materiais Necessários". Também leia as "Dicas" para ver onde comprá-los.

2. Coloque os óculos de proteção e use luvas para proteger sua pele.

3. Misture 50 mililitros de peróxido de hidrogênio e um litro de água na primeira bacia para mistura.

4. Misture na segunda vasilha as 0,2 gramas de luminol, 4 gramas de carbonato de sódio, 0,4 gramas de sulfato de cobre, 0,5 gramas de carbonato de amônia e 1 litro de água.

5. Limpe os recipientes e os seque por completo.

6. Coloque as tampas corretas próximas aos recipientes. Isso irá permitir que sele os recipientes rapidamente após enchê-los.

7. Coloque partes iguais da primeira solução com quantidades iguais da segunda solução em cada recipiente e os feche.

8. Veja os compostos químicos criarem um brilho colorido. Leve os seus bastões luminosos para a festa!

9. Feito.

Dicas
  • Este processo pode fazer bagunça. Coloque jornal por baixo ao trabalhar ou faça isso em uma área que poderá limpar facilmente depois que terminar.
  • O luminol é o produto químico que faz o sangue brilhar. Ele pode ser encontrado em lojas de produtos químicos, na internet ou em conjuntos de espionagem para crianças.
  • O carbonato de sódio, o carbonato de amônia e o sulfato de cobre penta-hidratado são pós brancos. Eles podem ser encontrados em loja de produtos químicos.

Avisos
  • As crianças devem ser supervisionadas quando usarem os bastões luminosos. Pode ser tentador para elas quebrar o bastão e brincar ou ingerir o seu conteúdo, o que poderá causar ferimentos graves.
  • Sempre use óculos de proteção quando trabalhar com substâncias químicas.
  • Use luvas. Não toque no luminol ou o ingira.[1]
  • O sulfato de cobre é tóxico.[2]

Materiais Necessários
  • 2 bacias de cerâmica grandes
  • Recipientes de plástico como provetas ou garrafas de shampoo
  • 2 litros de água destilada
  • 50 mililitros de peróxido de hidrogênio a 30%
  • 0,2 gramas de luminol (não toque nele, use um recipiente para colocá-lo e use luvas)
  • 4 gramas de carbonato de sódio
  • 0,5 gramas de carbonato de amônia
  • 0,4 gramas de cobre penta-hidratado
  • Óculos de proteção

Fonte: WikiHow

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...