terça-feira, agosto 13

Plantas Medicinais

Ao contrário do que muita gente pensa, as plantas medicinais não são totalmente inofensivas: elas também provocam efeitos colaterais. Portanto, ninguém deve abusar ou fazer uso incorreto das plantas que curam. E quem faz essa advertência é o médico e pesquisador Celerino Carriconde, que há vários anos realiza estudos sobre o tema, no Centro Nordestino de Medina Popular, com sede em Olinda.

A Artemísia, por exemplo, conhecida popularmente como “anador”, é uma planta tóxica por causa da tujona, substância que, quando tomada em doses elevadas, provoca tremores, vertigens e alucinações, seguidas de sonolência e longa prostração. Já as folhas e brotações de “arruda”, em grandes dosagens são tóxicas e podem causar edema na língua, gastroenterites, diminuição do pulso etc.

Veja, a seguir, as propriedades terapêuticas, toxidade, uso popular e partes empregadas de uma série de plantas medicinais muito usadas em Pernambuco e no Nordeste brasileiro. As informações foram retiradas do estudo “Plantas Medicinais & Plantas Alimentícias”, realizado pelos médicos e pesquisadores Celerino Carriconde, Diana Mores, Maren von Fritschen e Euclides Lara Cardozo Jr.

Uma característica interessante do trabalho dos pesquisadores (que foi publicado em forma de livro) é que eles tratam o tema com precisão científica, respaldados nas pesquisas de laboratório, mas sem desprezar os conhecimentos e as tradições do uso popular de cada planta. O estudo teve o apoio das universidades Federal e Rural de Pernambuco, Instituto de Pesquisas Agropecuárias (IPA) e da fundação alemã W.P. Schmitz-Stiffung.

:: Principais doenças tratadas por plantas
Ameba – Hortelã Miúda
Anemia – Erva Cidreira
Atraso menstrual (Amenorréia) – Artemísia (anador), Arruda
Barriga, Dor de – Canela, Erva Cidreira, Hortelã Miúda
Bronquite (Catarro) – Hortelã Graúda, Babosa, Corona
Cabeça, Dor de – Hortelã Miúda, Hortelã Graúda, Atipim
Caspa – Babosa
Cólica menstrual – Canela, Artemísia (anador)
Dente, Dor de – Atipim, Arruda
Digestão, Má (Dispepsia) – Sete Dores
Disenteria – Goiaba
Dor reumática – Atipim
Estômago, Dor de – Capim santo, Artemísia (anador)
Febre – Acônito
Feridas – Goiaba
Furúnculo – Corona
Garganta, Infecção na – Goiaba
Gastrite – Corona
Gazes (Flatulência) – Boldo Japonês
Gengivite – Goiaba
Giárdia – Hortelã Miúda
Hemorróidas – Babosa
Nevralgias – Atipim
Ouvido, Dor de – Hortelã Graúda, Arruda
Queimaduras – Babosa
Resfriado – Erva Cidreira
Ressaca – Boldo Japonês
Útero, Inflamação no colo do – Hortelã Graúda
Vesícula, Cálculo na – Boldo Japonês
Calmante – Capim Santo
Pós-Parto – Erva Cidreira


:: Capim Santo
Propriedades terapêuticas: Antibacteriana, Antifúngica, Inseticida, Espasmolítica e Analgésica
Parte empregada: folha

Toxidade:
Como foi verificado, a administração de abafado de Capim Santo não apresentou toxidade em ratos tratados em laboratório. Mais recentemente o efeito genotóxico do b-Myrceno foi pesquisado “in vivo”, resultando em nenhum efeito mutagênico. Este estudo “in vivo’confronta vários testes anteriores, que apresentavam atividade mutagênica “in vitro” do b-Myrceno.

Uso popular Como preparar Dose
Dor de estômago Infusão – 15 g para cada 500ml de água Tomar uma xícara duas a três vezes ao dia
Carminativa Infusão – 15 g para cada 500ml de água Tomar uma xícara quando for necessário
Estomáquica Infusão – 15 g para cada 500ml de água Tomar uma xícara quando for necessário
Calmante Infusão – 15 g para cada 500ml de água Tomar uma xícara quando for necessário


:: Canela
Propriedades terapêuticas: Antibacteriana, Antifúngica, Estomática, Carminativa e Espasmolítica
Parte empregada: casca (caule e ramos) e folhas

Toxidade:
Em doses excessivas produz irritação das mucosas.

Uso popular Como preparar Dose
EspamolíticaCólica mestrual Infusão – 8 a 15 g de casca ou da folha para 1 litro de água Tomar uma xícara duas a três vezes ao dia
Dor de barriga Infusão – 8 a 15 g de casca para 1 litro de água Tomar uma xícara quando sentir dor, até quatro vezes ao dia
Digestiva (Antidispéptica) Infusão – 8 a 15 g de casca para 1 litro de água Tomar uma xícara duas a três vezes ao dia
Carminativa Infusão – 8 a 15 g de casca ou da folha para 1 litro de água Tomar uma xícara quando for necessário


:: Goiaba
Propriedades terapêuticas: Antibacteriana, Anti-disentérica, Estomáquica, Analgésica e Adstringente
Parte empregada: raiz, casca, folhas, fruto e broto foliar (olho)

Toxidade:
A presença de Taninos desaconselha o uso prolongado desta planta por uso interno, pois pode ocasionar distúrbios por má absorção alimentar.

Uso popular Como preparar Dose
Disenteria Infusão – 30 g das folhas novas para 500ml de água Tomar 50 a 200ml por dia
Infecção na Garganta Decocção – 50g da casca ou folhas para 1 litro de água Gargarejar duas a três vezes por dia
Feridas na boca (Gengivites) Decocção – 50g da casca ou folhas para 1 litro de água Bochechar duas a três vezes por dia
Feridas Decocção – 50g da casca ou folhas para 1 litro de água Lavar a ferida três vezes ao dia


:: Babosa
Propriedades terapêuticas: Uso interno: Laxativa/Drástica, Emenagoga/Abortiva, Anti-helmíntica, Peitoral, Hepato-protetiva, Estomáquica. Uso externo: Anti-inflamatória, Anti-hemorroidal, Cicatrizante/Resolutiva, Hidratante, Antibacteriana e Veiculante.
Parte empregada: folhas e Aloe ou Aloés (suco dessecado das folhas de diversas espécies do gênero Aloe, uma massa amorfa de cor amarela ou castanha. Para concentrar o volume do suco fresco ferve-se a massa até secar, mantendo uma maior concentração de princípios ativos. O Aloe tem cheiro desagradável e sabor muito amargo.)

Toxidade:
No uso crônico interno de Aloe perdem-se minerais essenciais, que não são reabsorvidos suficientemente, especialmente o Potássio. Esta deficiência induz paralisia da musculatura do cólon, provocando constipação. O organismo entre num “círculo vicioso” em relação à droga. Contra indicado internamente nos estados hemorroidais, nos períodos menstruais, hemorragias uterinas e na predisposição ao aborto, pois aumenta o fluxo de sangue na região pélvica.

Uso popular Como preparar Dose
Laxativa Infusão – 0,1 – 0,2 do pó em meia xícara de água com açúcar Tomar antes de deitar, quando for necessário.
Bronquitis Maceração – 10g da polpa de folha, retalhe, lave e adicione 10g de açúcar, deixe macerar por 8 a 10 horas. Tomar uma colher de sopa pela manhã, em jejum.
Dermatitis, Seborréia, Caspa Massagem na cabeça – Retirar a cutícula, esfregar no couro cabeludo; depois de 15 minutos, exanguar. Fazer esta operação em dias alternados.
Queimaduras pelo sol ou fogo Emplastro – Passar a folha pelo calor do fogo; retirar a cutícula e colocar na zona afetada. Repetir a operação quando for necessário.
Hemorróidas Retitis Supositórios – Corta-se a cutícula da folha; a polpa corta-se em forma de supositório. Coloca-se no congelador para que fique duro. Aplicar supositório cada quatro horas.


:: Anador (Artemísia)
Propriedades terapêuticas: Uso interno: Anti-helmíntica, Emenagoga/Abortiva, Aperitiva/Antidispéptica, Antibacteriana. Uso externo: Revulsiva
Parte empregada: folhas, flores e raiz.

Toxidade:
A Artemísia é uma planta tóxica por causa da Tujona, que provoca tremores, vertigens e alucinações seguidas de sonolência e longa prostração quando tomada em doses elevadas. Muitas espécies da família Asteraceae são alergênicas, como por exemplo a Camomila, Arnica e também a Artemísia. Vários experimentos imunológicos pesquisam os componentes alergênicos dos polens de Artemísia. Foram isoladas várias substâncias proteínicas, denominadas Art v I, Art v II e Ag1-12, com muita importância na imunologia. Além disso, a irritação de Tujona na pele, apesar de seu efeito positivo, pode causar alergia local.

Uso popular Como preparar Dose
Digestiva Infusão ou decocção – 10 a 15 folhas (3g) para uma xícara de água Tomar após as principais refeições.
Dores no estômago Infusão ou decocção – 10 a 15 folhas (3g) para uma xícara de água Tomar no máximo 2 a 3 vezes ao dia.
Dores menstruais Infusão – 10 a 15 folhas (3g) para uma xícara de água Tomar no máximo 2 a 3 vezes ao dia.
Amenorréia (Atraso menstrual) Infusão – 50 a 75 folhas (15g) para um litro de água fervendo por 15 minutos Um copo (200ml) três vezes ao dia 10 dias antes do início do período menstrual.


:: Boldo japonês (Aluman)
Propriedades terapêuticas: Antibacteriana, Anti-ulcerogênica, Analgésica, Antifúngica, Colagoga/Colerética, Carminativa
Parte empregada: folhas.

Toxidade:
Nenhuma ação tóxica foi encontrada na literatura consultada.

Uso popular Como preparar Dose
Cólica Biliar (Cálculo na vesícula) Infusão ou decocção – 2 folhas (3g) para uma xícara de água Tomar quando sentir a dor.
Ressaca Infusão ou decocção – 1 a 2 folhas (2,5g) para uma xícara de água Tomar duas a três vezes ao dia, quando necessário.
Colecistitis Aguda (Inflamação na vesícula) Infusão ou decocção– 1 a 2 folhas (2,5g) para uma xícara de água Tomar depois das refeições durante o tempo necessário.
Flatulência (Gases) Infusão ou decocção – 1 folha (15g) para uma xícara de água Tomar depois das refeições.


:: Arruda
Propriedades terapêuticas: Espasmolítica, Antifertilidade/Abortiva, Antimicrobiana, Anti-inflamatória, Vasoprotetora, Anti-oxidativa, Repelente.
Parte empregada: folhas, flores.

Toxidade:
Mulheres grávidas não podem usar a planta internamente por causa do efeito abortivo. Em grande doses, as folhas e as brotações são tóxicas, causando vômitos, gastroenterites, salivações, edema na língua, diminuição do pulso, extremidades frias e fraqueza. As substâncias Bergapteno, Xantotoxina e o Psoraleno produziram “in vitro” alterações cromossômicas em células humanas. A Isogravacridona-clorina, do grupo dos Alcalóides, mostrou atividade mutagênica forte nos testes com raças de Salmonella typhi.

Uso popular Como preparar Dose
Alterações menstruais Infusão – 1 a 2g para meio litro de água Tomar duas vezes ao dia, durante uma semana.
Dores articulares Banhos ou compressas – 10g de folhas para meio litro de água fervendo. Aplicar duas vezes ao dia.
Dores de dente Sumo – Triturar um raminho de folhas com um pouco de água. Aplicar com algodão sobre o dente.
Dor de ouvido Sumo – Triturar um raminho de folhas com um pouco de água. Aplicar no ouvido diariamente.
Moscas (Larvas) Bicheira Decocção – 10g de folhas para 250ml de água Lavar duas a quatro vezes ao dia a área afetada.


:: Acônito
Propriedades terapêuticas: Antimicrobiana, Anti-térmica.
Parte empregada: folha e raiz.

Toxidade:
Não foram encontradas informações sobre a toxidade da planta.

Uso popular Como preparar Dose
Antitérmica (baixar a febre) Infusão – 2 a 3 folhas para uma xícara de água fervendo Tomar quando tiver febre.


:: Atipim
Nomes populares: Pipi, Erva de Pipi, Amansa senhor, Guiné, Erva-de-Guiné, Erva-de-Alho.
Propriedades terapêuticas: Antimicrobiana, Anti-inflamatória, Analgésica, Queratoplásica.
Parte empregada: folha e Raiz.

Toxidade:
Dos constituintes inorgânicos isolados, os Nitratos merecem uma atenção especial devido ao fato de que a alta concentração no organismo, especialmente em crianças, pode causar a redução à Nitrito por bactérias, podendo levar à metahemoglobinemia. A raiz em pó, em doses fracionadas, determina, a princípio, superexcitação, insônia, alucinações, depois manifesta-se indiferença e até imbecilidade, em seguida amolecimento cerebral, mudez por paralisia da laringe, convulsões tetaniformes e morte após um ano ou mais, conforme as doses.

Uso popular Como preparar Dose
Dor reumática Tintura – preparar uma tintura de 200g da raiz ou folhas para um litro de álcool 70* Fricções e massagens
Nevralgias Tintura – preparar uma tintura de 200g da raiz ou folhas para um litro de álcool 70* Fricções e massagens
Dores de dente Tintura – preparar uma tintura de 200g da raiz ou folhas para um litro de álcool 70* Aplicar a tintura com algodão no local afetado.
Dor de cabeça Tintura – preparar uma tintura de 200g da raiz ou folhas para um litro de álcool 70* Compressas – aplicar quando necessário.


:: Corona
Nomes populares: Malva Santa, Folha da Costa, Folha da Fortuna, Orelha de Monge, Erva da Costa.
Propriedades terapêuticas: Antibacteriana, Anti-inflamatória, Vasoconstritora, Espasmolítica, Emoliente.
Parte empregada: folha.

Toxidade:
Não se encontrou nenhuma observação sobre a toxicidade da planta na literatura consultada.

Uso popular Como preparar Dose
Gastrite Liquidificar uma folha média com meio copo de água, adoçar com mel de abelha. Tomar duas a três vezes ao dia
Furúnculo Cataplasma – Colocar uma folha na manteiga quente e aplicar sobre a furúnculo -
Bronquitis (Catarro)

Xarope – Três ou quatro folhas médias para um litro de água. Adulto: 1 colher de sopa cada 6 horas.Criança: 1 colher de chá cada 6 horas.


:: Erva Cidreira
Propriedades terapêuticas: Analgésica, Espasmolítica, Antibacteriana, Peitoral.
Parte empregada: Folhas.

Toxidade:
Não apresenta efeito tóxico em animais. Testes farmacológicos utilizando ratos tratados com extrato de Lippia Alba, via oral durante 60 dias, em dose 25 vezes maior que a utilizada popularmente, não evidenciaram alterações funcionais determinadas nas dosagens bioquímicas séricas.

Uso popular Como preparar Dose
Dor de barriga Infusão – 10 folhas (4g) numa xícara de água Tomar quando necessário.
Digestivo Infusão – 10 folhas (4g) numa xícara de água Tomar antes da refeição.
Resfriado Maceração – 100g de folhas para meio litro de álcool 60* Massagear sobre o peito.
Pós-parto Infusão – 20 folhas (8g) numa xícara de água Tomar quando necessário.
Anemia Infusão – 5 a 8 folhas numa xícara de água Tomar duas vezes ao dia.


:: Hortelã Graúda
Propriedades terapêuticas: Antibacteriana, Expectorante.
Parte empregada: Folhas.

Toxidade:
Não foram encontradas, na literatura consultada, indicações relativas à toxicidade da planta.

Uso popular Como preparar Dose
Bronquitis (Catarro) Xarope – 200g de hortelã, 1 litro de água e 1,8kg de açúcar preto ou rapadura. Adulto: uma colher de sopa três vezes ao dia.Criança: uma colher de chá três vezes ao dia.
Bronquitis (Catarro) Vapor – colocar 5 a 8 folhas num prato e colocar um pouco de açúcar; colocar sobre uma panela. Adulto: uma colher de sopa três vezes ao dia.Criança: uma colher de chá três vezes ao dia.
Dor de ouvido Sumo – preparar o sumo, embeber no algodão e colocar no ouvido. Aplicar quando necessário.
Dor de cabeça Compressas – amarrar 4 a 5 folhas na cabeça, com um pano. Aplicar quando necessário.
Inflamação co Colo do Útero Cozimento – colocar um maço de folhas (200g) e um litro de água fervendo. Fazer lavagem com ducha uma vez ao dia, por cinco a seis dias.


:: Hortelã Miúda
Propriedades terapêuticas: Uso interno: Sedativa, Digestiva, Antiparasitária: trematodas, ameba, giárdia, tricomonas. Uso Externo: Analgésica, Tônica, Anestésica.
Parte empregada: folhas, flores.

Toxidade:
O extrato hidro-alcoólico de folhas de Mentha X villosa, administrado na dose de 100mg/kg/dia durante 90 dias em ratos albinos, por via oral, não apresentou efeitos colaterais. Doses muito elevadas das substâncias isoladas agem sobre o bulbo raquidiano podendo levas à morte. A DL50 (Dose letal) do Mentol é de 1000mg/kg de peso corporal.

Uso popular Como preparar Dose
Ameba e Giárdia Sumo – misturar o sumo das folhas verdes com mel de abelha em partes iguais. Tomar a mistura em jejum, por 15 dias.Adulto: uma colher de sopa uma vez ao dia.Criança: uma colher de chá uma vez ao dia.
Dor de cabeça Tintura Aplicar a tintura, com algodão, quando sentir a dor.
Anti-pruriginoso Tintura Aplicar a tintura nas partes da pele onde sentir prurido.
Dor de barriga Infusão – 1 a 2 ramos (5g) para meio litro de água fervendo. Tomar uma xícara morna duas a quatro vezes ao dia.


:: Sete Dores (Malva Santa, Falso Boldo)
Propriedades terapêuticas: Analgésica, Tônica Amarga, Colagoga, Anti-dispéptica.
Parte empregada: folhas.

Toxidade:
Doses concentradas ou por períodos muito longos podem causar irritação gástrica.

Uso popular Como preparar Dose
Dispepsia Maceração – triturar 2 a 3 folhas verdes (4 a 6g) num copo de água. Tomar quando necessário, até três vezes ao dia.

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...